Possível Sinopse do Filme da Liga da Justiça foi Divulgado

16 de outubro de 2014 No comments
FacebookTwitterGoogle+

liga

De acordo com o fontes seguras do site Badass Digest o filme da Liga seria dividido em 2 partes, onde a formação Super Equipe da DC Comics seria formada na Parte 1 por Superman, Batman, Aquaman, Mulher-Maravilha, Flash e Ciborgue enfrentando a entidade cibernética Kryptoniana Brainiac.  Na Parte 2 teriamos a inclusão de mais um membro da equipe, o Lanterna Verde, que de acordo com o diretor  Zack Snyder teria um outro papel na história de “Justice League – Part One“.

Leia mais…

Com vocês ….. Andorid 5.0 – Lollipop

15 de outubro de 2014 No comments
FacebookTwitterGoogle+

Lollipop

O Google está um pouco mais doce e colorido, a empresa acaba de apresentar a mais nova versão do Android, Lollipop.

A nova versão do Android chega ao mesmo tempo em três dispositivos Nexus projetados pelo Google – o Nexus 6, Nexus 9 e Nexus Player – mas o sistema operacional foi feito para rodar bem em dispositivos básicos com 512 MB ou mais. As melhores características do Material Design devem funcionar neles também. Leia mais…

Feliz dia do Administrador de Sistemas!

26 de julho de 2013 No comments
FacebookTwitterGoogle+

yo! Hoje é a última sexta-feira de Julho, dia mundial do Administrador de Sistemas ou sysadmin para os mais chegados :P

Então se você está lendo isso, lembre-se de comprar um presente para o seu sysadmin, pois sem ele (ou ela) você não conseguiria acessar essa página, nem acessar o twitter ou qualquer outro site favorito.

 

Categorias: Notícias Tags:

FreeBSD como guest Xen

11 de julho de 2013 No comments
FacebookTwitterGoogle+

Freebsd logoyo! Um mini artigo de como configurar o FreeBSD para rodar como guest no Xen. Depois de instalar o FreeBSD e atualizá-lo, baixe o código-fonte e instale o kernel XENHVM:

 

rm -rf /usr/src/*
svn co svn://svn0.us-east.FreeBSD.org/base/releng/9.1 /usr/src/
cd /usr/src
make -j4 buildkernel KERNCONF=XENHVM
make installkernel KERNCONF=XENHVM

Adicione o /boot/loader.conf:

# XEN console support
boot_multicons="YES"
boot_serial="YES"
comconsole_speed=9600
console="comconsole,vidconsole"

Habilite o ttyu0 em /etc/ttys (linha 44). Apenas mude de off para on ficando:

ttyu0   "/usr/libexec/getty std.9600"   dialup  on  secure

Altere o /etc/fstab para refletir os nomes do disco:

sed -i .bak 's/ada/xbd/g' /etc/fstab

Altere o /etc/rc.conf para o nome da placa de rede xn:

sed -i .bak 's/ifconfig_re0/ifconfig_xn0/g' /etc/rc.conf

Desligue a VM com shutdown -p now e altere o arquivo de configuração do xen para usar o driver netfront na placa de rede e o disco com xvda:

vif = [ 'type=netfront, mac=00:16:3e:xx:yy:zz, bridge=xenbr0' ]
disk = [ 'phy:/dev/volumevms/vm1_disk0,xvda,w']

Basta iniciar novamente a VM FreeBSD com os drivers de disco, rede e suporte à console funcionando.

Categorias: Tecnologia Tags:,

Nerdica: renomear multiplos arquivos no console

22 de março de 2013 No comments
FacebookTwitterGoogle+

yo!

Depois de um tempo parado, vamos com um tema novo (ainda em testes :P) e o que importa: conteúdo.

Uma nerdica rápida sobre como renomear arquivos rapidamente no console. Por exemplo, renomear todos os arquivos que tenham JPG em maiúscula para jpg (minúsculo):

 

for file in `ls f*.JPG`; do export s=`echo $file | sed ‘s/JPG/jpg/g’`; mv $file $s; done

Se quiser testar antes de executar, basta trocar o mv em “mv $file $s” para echo, ficando “echo $file $s”.

 

 

 

Categorias: Tecnologia Tags:,

Usando o chmod

31 de agosto de 2012 1 comment
FacebookTwitterGoogle+

Nesse tutorial entenderemos as permissões de arquivos mais usadas. Percebo que a maioria das vezes tenho muita dificuldade com permissionamento de arquivos por ficar com dúvida ou por não lembrar. Mostrarei de forma clara e objetiva o funcionamento das permissões no Linux.

Ao listar um arquivo com o comando:

# ls -l arquivo

Ele mostrará:

Tipo  Dono   Grupo  Outros  Arquivo
 -     ---    ---    ---    arquivo

Onde:

r : Significa permissão de leitura (read);
w : Significa permissão de gravação (write);
x : Significa permissão de execução (execution);
- : Significa permissão desabilitada.

O primeiro dígito determina o tipo de arquivo, os três seguintes a permissão do dono do arquivo, os três do meio a permissão do grupo que o arquivo pertence e os últimos a permissão de outros usuários. A regra para as permissão sempre será:

--- : Nenhuma permissão;
r-- : Permissão de leitura;
r-x : Leitura e execução;
rw- : Leitura e gravação;
rwx : Leitura, gravação e execução.

As permissões para melhor entendimento se tratando das numéricas são:

Permissão   Binário   Decimal
 ---         000       0
 --x         001       1
 -w-         010       2
 -wx         011       3
 r--         100       4
 r-x         101       5
 rw-         110       6
 rwx         111       7
Comando      Número      Permissão     Status
 chmod        000        ----------    Nenhuma
 chmod        400        -r--------    Leitura apenas para o dono
 chmod        444        -r--r--r--    Leitura para o dono, grupo e outros
 chmod        600        -rw-------    Leitura e gravação apenas para o dono
 chmod        620        -rw--w----    Leitura e gravação para o dono, gravação para o grupo
 chmod        640        -rw-r-----    Leitura e gravação para o dono, e leitura para o grupo
 chmod        644        -rw-r--r--    Leitura e execução para o dono, leitura para o grupo e leitura para outros
 chmod        645        -rw-r--r-x    Leitura e gravação para o dono, leitura para o grupo e leitura e execução para outros
 chmod        646        -rw-r--rw-    Leitura e gravação para o dono, leitura para o grupo e leitura e gravação para outros
 chmod        650        -rw-r-x---    Leitura e gravação para o dono e leitura e execução para o grupo
 chmod        660        -rw-rw----    Leitura e gravação para o dono e leitura e gravação para o grupo
 chmod        661        -rw-rw---x    Leitura e gravação para o dono, leitura e gravação para o grupo e execução para outros
 chmod        662        -rw-rw--w-    Leitura e gravação para o dono, leitura e gravação para o grupo e gravação para outros
 chmod        663        -rw-rw--wx    Leitura e gravação para o dono, leitura e gravação para o grupo e leitura e execução para outros
 chmod        664        -rw-rw-r--    Leitura e gravação para o dono, leitura e gravação para o grupo e leitura para outros
 chmod        700        -rwx------    Leitura gravação e execução para o dono e nada para os demais
 chmod        770        -rwxrwx---    Leitura e gravação e execução para o dono, leitura gravação e execução para o grupo e nada para outros
 chmod        777        -rwxrwxrwx    Permissão total para dono, grupo e outros
Categorias: Tecnologia Tags:

Usando o crontab

30 de agosto de 2012 No comments
FacebookTwitterGoogle+

Crontab é um programa onde são especificados os comandos a serem executados e a hora e dia de execução pelo cron, um programa que executa comandos agendados nos sistemas operacionais do tipo Unix (como o Linux ou o Minix, por exemplo). O cron se encarregará de verificar a hora e determinar se existe ou não algum programa a ser rodado. Caso exista ele o rodará na hora e data solicitada.

Sintaxe:

Dentro do arquivo que se abre após o comando existe uma sintaxe conforme a seguir:

mm hh dd MM ss user script

00 13  *  *  * root /root/exemplo_script

Exemplo de script que roda todos os dias as 13 horas, com usuário root. Agora vamos detalhar mais este comandos.

mm = minutos, informe números de 0 a 59;

hh = hora, informe números de 0 a 23;

dd = dia, informe números de 0 a 31;

MM = mês, informe números de 1 a 12;

ss = dia da semanada, informe números de 0 a 6;

user  =  é o usuário que vai executar o comando (não é necessário especificá-lo se o arquivo do próprio usuário for usado);

script = a tarefa que deve ser executada.

  •  Obs 1: Em dia_da_Semana, 0 refere-se a domingo; e 6, ao sábado. No caso de dia da semana funciona também as três primeiras letras (em inglês) do dia da semana (SUN,MON,TUE,WED,THU,FRI,SAT);
  •  Obs 2: Em qualquer posição pode-se usar o * (asterisco) quando não se importar com o campo em questão;
  •  Obs 3: Pode-se utilizar intervalos nesses campos. O caracter para intervalo é o – (hifen);
  •  Obs 4: Pode-se utilizar lista de valores nesses campos. O caracter para a lista é a , (vírgula);
  •  Obs 5: Qualquer texto colocado após o programa que será executado será considerado comentário e não será interpretado pelo cron.

Seguem alguns exemplos:

Todo dia de hora em hora (hora cheia)

00 * * * * /bin/script

De cinco em cinco minutos todos os dias (note a divisão por 5 do intervalo 00-59)

00-59/5 * * * * /bin/script

Nas seguintes horas: 10, 12, 16, 18, 22 aos 15 minutos da hora

15 10,12,16,18,22 * * * /bin/script

Nos primeiros cinco dias do mês às 19:25

25 19 01-05 * * /bin/script

De segunda a sexta ao meio-dia e a meia-noite

00 00,12 * * 1-5 /bin/script

Script rodar Segunda,Quarta,Sexta às 2 horas

0 2 * * mon,wed,fri /bin/script

Script para rodar Terça,Quinta às 3 horas

0 3 * * tue,thu /bin/script

Script para ser executado minuto a minuto

*/1 * * * * /bin/script

Categorias: Tecnologia Tags:

Happy System Administrator Appreciation Day

27 de julho de 2012 No comments
FacebookTwitterGoogle+

Hoje é a última sexta-feira de Julho, Dia de Apreciação do Administrador de Sistemas.

Parabéns a todos os sysadmins do nosso planeta que mantém toda essa grande rede conhecida como Internet e seus serviços funcionando.

http://sysadminday.com

Categorias: Notícias Tags:

Diablo III no Slackware Linux

14 de junho de 2012 No comments
FacebookTwitterGoogle+

yo! Depois de anos esperando, finalmente podemos jogar a nova versão do Diablo III e nada melhor que jogar na sua distribuição favorita. Felizmente a versão de desenvolvimento do wine consegue rodar o Diablo III com alguns patches.

Para Slackware existe um pacote do windows prontinho com esses patches para rodar o jogo e agradeço ao Alien[1] por fazê-lo e disponibilizá-lo para quem quiser. Então basta baixar os pacotes wine[2] e wine_gecko[3] e do OpenAL[4] para i386 ou para amd64 aqui[5], aqui[6] e aqui[7]. Depois, se você tiver algum pacote do wine, remova-o e instale os novos pacotes.

Então execute o winecfg e mude a versão do windows para “Windows 7″. Após isso é necessário instalar o as bibliotecas de execução do Visual Studio 2008 no wine e para isso baixe o winetriks[8], de permissão de execução:

chmod +x winetricks

E execute:

./winetricks vcrun2008

Feito tudo isso, você está pronto para entrar no mundo do Santuário e mostrar aos demônios do que você é feito!

____________________

* UPDATE *: em sistema 64 bits, execute o jogo com o comando setarch i386 -3 wine /caminho/para/pasta/Diablo\ III/Diablo\ III\ Launcher.exe.

Isso evita o jogo ficar parado ao receber a lista de personagens quando se faz o login na Battle.net.

____________________

[1]: http://alien.slackbook.org/blog/installing-diablo-3-on-slackware-linux/

[2]: http://www.slackware.com/~alien/slackbuilds/wine/pkg/13.37/wine-1.5.5-i486-1alien.tgz

[3]: http://www.slackware.com/~alien/slackbuilds/wine_gecko/pkg/13.37/wine_gecko-1.5-x86-1alien.tgz

[4]: http://www.slackware.com/~alien/slackbuilds/OpenAL/pkg/13.37/OpenAL-1.13-i486-1alien.tgz

[5]: http://www.slackware.com/~alien/slackbuilds/wine/pkg64/13.37/wine-1.5.5-x86_64-1alien.tgz

[6]: http://www.slackware.com/~alien/slackbuilds/wine_gecko/pkg64/13.37/wine_gecko-1.5-x86-1alien.tgz

[7]: http://www.slackware.com/~alien/slackbuilds/OpenAL/pkg64/13.37/OpenAL-1.13-x86_64-1alien.tgz

[8]: http://winetricks.org/winetricks e https://code.google.com/p/winetricks/

XFCE 4.10 no Slackware 13.37

15 de março de 2012 No comments
FacebookTwitterGoogle+

yo! Vamos a mais uma dica para o Slackware Linux, a distro que simplesmente funciona.

O xfce padrão do Slackware 13.37 é o 4.6.2 e ele já está um pouco velhinho. Felizmente ficar de olho no fórum[1] do Slackware Linux sempre traz boas dicas e foi lá que achei algumas pessoas que compilaram e disponibilizaram[2] pacotes do xfce 4.10. Eu vou complementar esse novo xfce com alguns pacotes do slackbuilds.org, melhorando o ambiente mas não pense nesse artigo como algo para ter um super xfce completo,  mesmo porque o completo pode significar algo diferente para nós.

Vamos instalar alguns slackbuilds primeiro. Se você já tiver algum instalado, apenas ignore.

sbopkg -i "webcore-fonts gtk-aurora-engine gtk-engines gtk-nodoka-engine equinox murrine tls libnice gst-python farsight2 libmusicbrainz3 dconf gnome-mplayer ORBit2 GConf libtasn1 libatasmart sg3_utils"

Eu tive problemas ao instlar o udisks e upower pelo sbopkg. O problema é com um argumento errado em alguns Makefile e para corrigir isso, basta, como root, entrar no diretório /var/lib/sbopkg/SBo/13.37/system/udisks/ e editar o arquivo udisks.Slackbuild e acrescentar por volta da linha 84 (antes do make):

* UPDATE * : esse problema com o udisks e upower não ocorreu no Slackware 64bits, somente na versão i486.

sed -i s/-nonet//g doc/dbus/Makefile*
sed -i s/-nonet//g doc/man/Makefile*

Desse modo o arquivo udisks.Slackbuild fica assim:

./configure \
  --prefix=/usr \
  --libdir=/usr/lib${LIBDIRSUFFIX} \
  --sysconfdir=/etc \
  --localstatedir=/var \
  --mandir=/usr/man \
  --docdir=/usr/doc/$PRGNAM-$VERSION \
  --build=$ARCH-slackware-linux

sed -i s/-nonet//g doc/dbus/Makefile*
sed -i s/-nonet//g doc/man/Makefile*

make
make install DESTDIR=$PKG

 

Agora é só gerar o pacote e instalar:

wget `grep DOWNLOAD= udisks.info|cut -d= -f2|sed s/\"//g `
./udisks.Slackbuild
installpkg /tmp/udisks-*.t?z

Depois faça a mesma coisa com o upower em /var/lib/sbopkg/SBo/13.37/system/upower.  Após instalar, termine adicionando mais esses pacotes:

sbopkg -i "libdaemon libunique libsoup libproxy libgnome-keyring gnome-keyring avahi gvfs"

Se você tiver o xfce padrão do slackware, será necessário removê-lo antes:

removepkg /var/log/packages/xfce*
removepkg /var/log/packages/thunar*

Agora baixe os pacotes do xfce para i386[3] ou para amd64[4] (não se esqueça do pacote no diretório dep) e então é só instalá-los:

installpkg *.t?z

Por fim, atualize seu .xinitrc executando o xwmconfig.

E tudo pronto! Agora você possui o xfce mais novo.

 

[1]: http://www.linuxquestions.org/questions/slackware-14

[2]: http://www.linuxquestions.org/questions/slackware-14/xfce-4-10-a-937767/page3.html

* UPDATE * : atualizei os links abaixo pois os antigos não existe mais

[3]: http://download.tuxfamily.org/salixbang/depot/i486/13.37/salixbang/xfce/

[4]: http://download.tuxfamily.org/salixbang/depot/x86_64/13.37/salixbang/xfce/

Categorias: Tecnologia Tags:, , ,